Curioso, irá tratar com humor, factos e casos da demanda da criatura humana. Terá particular atenção ao curioso comportamento tuga, seja ele político ou explorado que bate palmas a tudo. Mesmo, quando sente uma pressão onde as costas perdem o nome.
.posts recentes

. Mictório indiscreto

. Moda

. “Não há, volta a dar. Não...

. O ódio não escolhe fronte...

.arquivos

. Março 2006

online
Online Casino
Segunda-feira, 13 de Março de 2006
“Não há, volta a dar. Não há atalho a seguir”.
 

O resultado de um ano de governação é o tratamento discriminatório com que este governo trata cidadãos exemplares. O caso de Fernando Gomes, que como administrador da GALP aufere uns míseros 15000 euros, foi informado pela Caixa Geral de Aposentações que tinha sido reformado com uma mísera pensão de 3172€. Valha-lhe ao menos que como gestor público, Fernando Gomes não é obrigado a optar por um terço do salário ou da reforma. É este como muitos outros casos representativo de uma classe mal amada, que vê os seus direitos serem diariamente espoliados, em detrimento de uns velhos que querem auferirem de uma exorbitante verba de 300€, ou melhor querem auferir de mais uns extraordinários euros para completar a diferença do que auferem e os escandalosos 300 euros.

Como disse o caso de Fernando Gomes é a ponta do Iceberg (foto) poderíamos ainda falar de outros injustiçados como Armando Vara, Vítor Constâncio, Guilherme d’Oliveira Martins e tantos outros como os míseros 1,42 milhões que pobres e explorados 82 deputados receberam de subsídio. Um humilhante subsídio de reintegração, que teve que ser mendigado. Cidadãos esses exemplares, que sempre se esforçaram para nos colocar no pelotão da frente na fuga à qualidade de vida e da convergência com a Europa. Foram estas dignas e doutas criaturas preocupadas, que sempre responderam cabalmente à digna e justa distribuição de fundos comunitários. Mas, não o governo num claro proteccionismo dos interesses instalados e protecção de privilégios injustificados aumenta as tachas moderadoras em 23%. Esta é outra que faz lembrar o caso dos funcionários públicos têm de aumentos uns exorbitantes 1,5%. É por isso que os gestores públicos do infarmed receberam um aumento de miséria, uns desprezíveis 30%. E como o PM, o visionário Sócrates muito bem diz; não há, volta a dar. Não há atalho a seguir.

publicado por carlocos às 11:59
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Março 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. todas as tags


Who links to me?
blogs SAPO
.subscrever feeds